Melhores livros de fotografia brasileiros de 2017

ZUM convidou artistas, curadores, pesquisadores, jornalistas, críticos e professores e envolveu a própria equipe numa seleção dos melhores livros de fotografia brasileiros publicados em 2017 – fotolivros, catálogos de exposição, livros monográficos e de teoria e história da fotografia. Veja abaixo a escolha de cada um.

Lívia Aquino (coordenadora da pós-graduação em fotografia da FAAP, em São Paulo)

X-Range, de Regina Vater (Ikrek, 2017)

“Reeditar uma obra, um livro, uma tradução é fundamental para os processos de pesquisa e para a construção do que entendemos como história, procedimento pouco valorizado pelo mercado editorial no Brasil. Esse argumento já valeria minha escolha, mas podemos pensar mais sobre essa publicação tão cuidadosa.

Regina Vater é uma artista cuja produção se dá pela experimentação de diversos procedimentos e materiais. No que diz respeito à fotografia, presente nessa publicação, a artista esgarça alguns protocolos relacionados ao que se consagrou como tradição, provocando outros modos de utilizá-la ao longo de sua produção. Gosto imensamente da definição que faz de si mesma quando assinala, pela linguagem, um lugar de chegada e um de partida: “Não sou vídeo artista, não sou artista de performance, não sou fotógrafa, não sou desenhista, não sou artista de instalação, não sou pintora, não sou poeta visual, sou artista ponto parágrafo”.

Ela também se faz articuladora de outros artistas produzindo exposições e encontros em Nova Iorque, lugar de efervescência nos anos 1970. Em X-Range tal convivência se dá por uma ação simples de procurar projetar o outro a partir de seu próprio ambiente. Esse outro, entretanto, é parte dessa relação maior entremeada por Regina, se falamos de John Cage, Lygia Clark, Hélio Oiticica e Vito Acconci. Dessa forma, a reedição da publicação é também um reconhecimento de tudo isso como parte de uma boa história.”

X-Range/ Regina Vater/ Blog Zum IMS/ Melhores livros de fotografia brasileiros de 2017

2018